Fluminense na Libertadores

Taça de campeão da Libertadores deverá sofrer grande alteração

Na temporada de 2023, o Fluminense ficou marcado com importante destaque no futebol nacional, especialmente por ter alcançado a sua primeira conquista da Copa Libertadores da América, comandado pelo técnico Fernando Diniz. Na final, realizada no Maracanã, o Tricolor derrotou o Boca Juniors, levantando a sonhada taça. Na época, ficou um questionamento sobre o valioso objeto.

A reportagem do ‘ge’ foi em busca de informações, na última segunda-feira (18), questionando se ainda existe um espaço disponível para a colocação da placa do campeão da edição de 2024. Na data, foi realizado o sorteio da Copa Libertadores da América e da Sul-Americana, na sede da entidade, em Luque, no Paraguai. A resposta, no entanto, acabou surpreendendo.

Assim, a entidade ainda considera o espaço de mais uma plaquinha, que será destinada ao campeão da Libertadores de 2024. De maneira oficial, a Conmebol não atua com produção de uma nova taça ou mesmo com o remanejamento e/ou padronização das placas. No total, o troféu conta com 64 placas, em referência às 64 decisões. A torcida segue de olho entre as possibilidades

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Fluminense conhece seus adversários na Libertadores

A entidade leva em consideração que, por contar com diversas réplicas espalhados pela América do Sul, as taças com a base preenchidas não devem ser considerada como oficial. O Fluminense vai em busca de sua segunda taça no ano, e já se prepara para o primeiro desafio na competição. Os adversários na etapa são: Colo-Colo, Cerro Porteño e Alianza Lima.

O Cerro Porteño, por exemplo, velho conhecido da torcida do Fluminense, se classificou como 2º melhor colocado na tabela acumulada do Campeonato Paraguaio, passando por um período de reconstrução. A equipe está distante do esperado, passando por certa crise. Atualmente, está sem técnico e perdeu o seu principal jogador. 

Isadora Reis

Estudante de jornalismo, torcedora assídua do futebol nacional e apaixonada por escrever sobre esportes.
Botão Voltar ao topo