Fluminense na Libertadores

Saiba quem é a mulher responsável por ajudar o Fluminense a conquistar a América

O Fluminense viveu temporada de destaque em 2023, conquistando a sonhada Copa Libertadores da América, a primeira de sua história, após um duelo de peso contra o Boca Juniors. O técnico Fernando Diniz comprovou o importante trabalho ao lado do elenco, os jogadores ganharam importante destaque no futebol nacional, e uma peça utilizada nos bastidores acabou surgindo de maneira essencial.

Após o duelo, ainda em campo, o meia-atacante Jhon Arias disse a uma das funcionárias do clube: “você me fez o que eu sou hoje”. O momento captado em vídeo não demorou para viralizar nas redes sociais, gerando um questionamento sobre quem seria a mulher. Trata-se de Emily Gonçalves, a coordenadora de psicologia do futebol do tricolor. O atleta ainda completou:

“Minha relação com a Emily (psicóloga do Fluminense) é uma relação ótima. Me ajudou muito desde a minha chegada até aqui. Uma pessoa que sempre que posso enaltecer o trabalho dela. Aqui no clube tem muita gente que trabalha muito fora das câmeras, fora do palco. Mas que são os que carregam o time nos momentos importantes, que não aparecem muito, mas que fazem o Fluminense atingir o lugar que o Fluminense tem atingido atualmente”, contou Arias.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Emily se destaca nas categorias de base do Fluminense

A profissional está no Fluminense desde a temporada de 2007, quando iniciou seu trabalho ao lado das categorias de base, em Xerém. Ela subiu ao time principal em julho de 2018, caminhando com grande reconhecimento, como peça essencial para instaurar o projeto nas Laranjeiras. Arias é o atleta que deixa a relação com a psicóloga mais evidenciada, levando de maneira positiva.

“O trabalho do psicólogo do esporte está sempre atrelado a quando o atleta não vai bem. Mas nosso trabalho é preventivo também. Quando a saúde mental está em dia, os riscos de lesão e de erros vão ser menores, e ele vai performar de uma forma sustentável”, disse Emily em entrevista ao GLOBO. O caso do colombiano envolvia principalmente a perda da avó, Concepción.

Isadora Reis

Estudante de jornalismo, torcedora assídua do futebol nacional e apaixonada por escrever sobre esportes.
Botão Voltar ao topo