Últimas Notícias do Fluminense

GRAVE! Atleta do Fluminense fingiu estar lesionado para não jogar

Ainda na temporada de 2013, Celso Barros e Peter Siemsen posavam para fotos e trocavam sorrisos em um dos camarotes do Maracanã. Assim, nos bastidores, um contrato era assinado entre as partes. O então presidente da Unimed-Rio chegava para um importante acordo com o grupo, com o patrocínio máster do Fluminense renovado até o fim de 2014.

Contudo, as imagens que pareciam felizes, logo se desfez em longas divergências políticas e empresariais, que colocaram fim a uma das maiores parcerias do futebol nacional. A história se desdobrou em 10 anos na temporada de 2024, e é lembrada de maneira extremamente negativa pelos torcedores do Fluminense. O resultado acabou interferindo nos gramados.

Em determinado momento, os jogadores levantaram um questionamento para Peter e Celso, considerando os atrasos salariais que já se tornavam algo comum. Assim, na semana da vitória do Fluminense por 4 a 2 sobre o Criciúma, no Brasileirão de 2014, um jogador foi departamento médico, entendendo que não teria previsão de receber os valores e tomou uma atitude inesperada.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Celso Barros comenta fim de parceria entre Fluminense e Unimed-Rio

O profissional, de acordo com relatos o ‘ge’, decidiu que não entraria em campo. Vale ressaltar que os profissionais do Fluminense não constataram qualquer tipo de lesão, e os jogadores souberam da decisão que fugia do caráter de um atleta. Naquele momento, Fred quase trocou socos com o jogador, e em seguida, os líderes do elenco buscaram isolá-lo.

Celso Barros chegou a comentar sobre o fim da parceria, sem tantos detalhes: “Até casamentos, às vezes, não são eternos. O meu é (risos), são 40 anos de casado. Mas patrocínio se estima em tempo, e o nosso não tinha prazo. O contrato era renovado automaticamente de acordo com o interesse das partes. Ocorreu uma situação de mercado, econômica, e tivemos que terminar”, diz.

Isadora Reis

Estudante de jornalismo, torcedora assídua do futebol nacional e apaixonada por escrever sobre esportes.
Botão Voltar ao topo