Últimas Notícias do Fluminense

Goleiro Bruno surpreendeu a todos e investiu em nova profissão

Vivendo em liberdade condicional desde o início da temporada passada, Bruno vai em busca de uma vida “comum”, tentando esquecer a prisão pelo envolvimento no sequestro e assassinato de Eliza Samúdio. De maneira óbvia, acabou tendo sua aposentadoria confirmada no futebol. Ele ainda tentou retornar para alguns clubes, no entanto, sem sucesso, especialmente por manifestações dos torcedores.

Ainda no início da temporada de 2022, o goleiro inaugurou uma loja de açaí em São Pedro da Aldeia. No entanto, a ação do antigo goleiro dividiu opiniões e rapidamente chegou às redes sociais. Localizado na Região dos Lagos do Rio de Janeiro, o local chamou a atenção, principalmente por ter Bruno como dono, e pela forma acolhedora com que ele tratou os clientes.

No momento da inauguração, ele foi o responsável por servir as pessoas que compareceram à loja, proporcionando grande interação. Assim que pendurou as chuteiras, deixando oficialmente os gramados, Bruno tentou começar a carreira de investidor, no entanto, acabou não dando continuidade. O objetivo era deixar o passado esquecido e seguir com o empreendedorismo.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Bruno defende qualidade da loja

No entanto, ainda hoje, o caso é um dos mais comentados, especialmente pela maneira como nunca ganhou um desfecho. É importante ressaltar que até hoje, o corpo de Eliza Samúdio, com quem o goleiro Bruno teve um filho, nunca foi encontrado. Há diversas especulações do que teria acontecido, mas a família ainda convive com o fato de que não há maiores informações.

O ex-jogador comentou sobre o motivo de abrir a loja, comentando que os empreendimentos antigos acabaram não dando certo. Assim, o atleta foi em busca de uma nova oportunidade na carreira. Mesmo que não tenha sido o primeiro plano, não nega a qualidade de seu novo negócio e se mostrou chateado com algumas pessoas que criaram apelidos pejorativos para o local.

Isadora Reis

Estudante de jornalismo, torcedora assídua do futebol nacional e apaixonada por escrever sobre esportes.
Botão Voltar ao topo