DestaquesJogos e Partidas do FluminenseÚltimas Notícias do Fluminense

Fluminense vai mudar estilo e jogar por uma bola contra o Manchester City?

Às vésperas da grande final do Mundial de Clubes da FIFA contra o Manchester City, marcada para sexta-feira (22/12), Fernando Diniz comentou sobre a forma como o Fluminense pode se apresentar diante da equipe inglesa e se haveria alguma mudança na estratégia de jogo contra os adversários.

Durante a coletiva, Diniz destacou como o Fluminense se preparará para o confronto, reconhecendo os erros cometidos na partida das semifinais contra o Al Ahly do Egito. Ele afirmou que repetir esses erros contra uma equipe de alta qualidade como o Manchester City pode ser cruel para o time Tricolor na grande final.

Quando questionado se o time adotaria uma abordagem mais retraída, buscando jogar por uma bola, similar à estratégia adotada pelo Urawa Reds contra o Manchester City, Diniz prontamente descartou essa possibilidade. Ele afirmou que o Fluminense jogará como Fluminense, descartando mudanças drásticas no estilo de jogo, mas reconhecendo a necessidade de corrigir os erros da última partida.

Diniz confirma que o Fluminense não irá mudar a forma de jogar contra o City

Durante a entrevista coletiva antes do confronto contra o clube inglês, Fernando Diniz confirmou desde o início que o Fluminense não mudará sua forma de jogar contra o Manchester City. Ele enfatizou a necessidade de corrigir os erros cometidos, mas reiterou que não pretende alterar a filosofia de jogo da equipe.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“O estilo de jogo será mantido. O que procuraremos corrigir é não errar tanto quanto erramos contra o Al-Ahly. A gente sabe que é um time de uma qualidade muito grande e não é mudando o jeito de jogar que aumentaremos a chance de ganhar. Cometemos muitos erros que não costumamos cometer” – comentou o treinador do clube Tricolor.

Ao longo da coletiva, Diniz também fez algumas observações sobre o país anfitrião e suas expectativas para a final. Ele mencionou, por exemplo, que o gramado não estava nas melhores condições, além de destacar as diferenças entre o campo de treinamento e o estádio, afirmando que essa mudança radical pode influenciar o aspecto do jogo.

“Uma das coisas ruins aqui no campeonato é que o campo de treinamento é muito diferente do estádio. O campo do estádio o jogo é mais rápido, a grama é mais baixa. Então sofremos um pouco com adaptação ao campo… O campo que treinamos aqui é de extrema qualidade, mas diferente do estádio, mudando o aspecto do jogo” – finalizou Diniz durante sua fala.

Leonardo Simões

Trabalhar com futebol é algo que hoje é minha maior realização, por mais que em outras áreas eu tenha uma boa qualidade é no futebol que eu me identifiquei.Também sou apaixonado por basquete e sempre tento acompanhar todas as ligas, sendo bem antenado a acompanhar diversos esportes além do futebol.Antes de trabalhar com futebol fiz diversos trabalhos, sendo de atendente em shopping até vendedor em televendas, e principalmente após começar a faculdade de jornalismo decide rumar para a área esportiva.
Botão Voltar ao topo