Fluminense na Libertadores

Fluminense vai enfrentar eterno freguês na Libertadores

Na última segunda-feira (18), Atlético-MG, Botafogo, Flamengo, Fluminense, Grêmio, Palmeiras e São Paulo, acompanharam de perto o sorteio realizado pela Conmebol, definindo os grupos da Copa Libertadores da América de 2024. Ao Tricolor, a cerimônia surge de maneira ainda mais especial, considerando ser o atual campeão da competição, em busca da segunda taça.

O Tricolor terá importantes desafios pela frente, no entanto, pode considerar não ter caído entre os grupos mais difíceis. Assim, encara o Alianza Lima (PER), o Colo-Colo (CHI) e o Cerro Porteño (PAR). O último clube, por exemplo, proporciona um bom retrospecto para o Fluminense. A equipe carioca nunca foi derrotada pela equipe paraguaia em toda a trajetória das equipes.

Assim, o Fluminense pode considerar ser um freguês. O último momento em que se encontraram, foi nas oitavas de final da Copa Libertadores, ainda na temporada de 2021. Na época, o Flu venceu os jogos de ida e volta. No total, foram cinco encontros, com quatro vitórias para a equipe carioca, além de um empate. No total, são oito gols pró, três gols contra e 86% de aproveitamento.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Fluminense deseja se agarrar em motivação da Recopa

Os resultados entre as equipes se desdobraram nas seguintes competições: 1×0 (Sul-Americana 2009), 2×1 (Sul-Americana 2009), 2×0 (Libertadores 2021) e 1×0 (Libertadores 2021). No entanto, o técnico Fernando Diniz chega com os pés no chão, especialmente por entender a grandiosidade do torneio. Em decisões na libertadores, tudo pode acontecer.

No último final de semana, o Fluminense acabou sendo eliminado na semifinal do Campeonato Carioca, deixando a competição após uma derrota em 2 a 0 e um empate em 0 a 0 com o Flamengo. No entanto, o clube pretende levar em consideração a motivação pela conquista inédita da Recopa Sul-Americana, que já chegou na temporada de 2024.

Isadora Reis

Estudante de jornalismo, torcedora assídua do futebol nacional e apaixonada por escrever sobre esportes.
Botão Voltar ao topo