Últimas Notícias do Fluminense

Fluminense compra briga feia com Flamengo e Palmeiras

O Rio Grande do Sul enfrenta momento de emergência, ainda lutando com as consequências das fortes chuvas e enchentes, que deixam mortos e desabrigados. Como o foco deve ser nos resgates e nas doações para as vítimas, Grêmio, Inter e Juventude, times da Série A do Brasileirão, pedem a paralisação do torneio. O Fluminense se posicionou a favor da pausa, apoiando os times que serão afetados.

Em decisão conjunta com os times que foram a Liga Forte União, o clube comunicou seu posicionamento, entendendo que o futebol deve ser deixado de lado neste momento de dor. Estão presentes na Liga: Athletico, América-MG, Atlético-GO, Avaí, Botafogo, Botafogo-SP, Brusque, Chapecoense, Ceará, Criciúma, CRB, Cruzeiro, CSA, Cuiabá, Figueirense, Fluminense, Fortaleza, Goiás e Internacional.

Além desses, fazem parte: Ituano, Juventude, Londrina, Mirassol, Náutico, Novorizontino, Operário-PR, Ponte Preta, Sport, Tombense, Vasco e Vila Nova. Vale ressaltar que ainda não há um entendimento geral sobre a situação enfrentada pelo Rio Grande do Sul, e equipes como Flamengo e Palmeiras, de grande visibilidade no cenário nacional, se posicionaram contra a paralisação.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Fluminense e Atlético-MG caminham ao lado da paralisação

O Atlético-MG, assim como o Fluminense, se posicionou a favor da paralisação, e tem colocado a contribuição em prática. No último sábado (11), o clube alvinegro realizou um treino aberto na Arena MRV, e destinou o valor arrecadado ao Rio Grande do Sul. No caso do Flamengo, por exemplo, Bruno Spindel, do Flamengo, acredita que as contribuições serão maiores, com a continuidade do torneio.

“O clube já se posicionou em relação aos co-irmãos Inter, Grêmio e Juventude. Temos que nos solidarizar e nos colocamos o centro de treinamento à disposição para que quando, e se julgarem necessário, usarem a nossa instalação entre outras ações. A gente entende que, continuando a trabalhar, exercendo as atividades, podemos ajudar mais ainda do que ficando parado.” salientou

Isadora Reis

Estudante de jornalismo, torcedora assídua do futebol nacional e apaixonada por escrever sobre esportes.
Botão Voltar ao topo