Últimas Notícias do Fluminense

Flamengo faz grave acusação contra o Vasco

No próximo domingo (17), Nova Iguaçu e Vasco da Gama se encontrarão no confronto de volta da semifinal do Campeonato Carioca, em busca da vaga para a grande decisão, que segue em aberto após o empate em 1 a 1. Por incrível que pareça, o local da partida surge como uma grande polêmica nos bastidores. O principal objetivo é levar o jogo ao Maracanã.

As duas equipes, contando com o apoio da Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (FERJ), ainda desejam proporcionar uma última cartada para que o confronto aconteça no importante estádio. Vale ressaltar que o confronto já está definido para o estádio Raulino de Oliveira, mas ainda há expectativas sobre a mudança em um último momento.

Junto ao Fluminense, o Flamengo é um dos responsáveis pela administração do Maracanã. Com isso, o clube rubro-negro enxerga uma tentativa do Vasco da Gama de se beneficiar com uma inversão de mando diante do seu adversário, levando em considerando que o Gigante da Colina atuou no estádio no confronto de ida. Voltar ao local pode ser visto como uma vantagem.

Vasco pode ser pego de surpresa com desfecho do pedido

O Nova Iguaçu chega como o mandante da partida de volta, e a diretoria do Flamengo, de acordo com informações do blog do jornalista Diogo Dantas, na versão online de ‘O Globo’, leva em consideração a negativa em regulamento da CBF que veda tal tipo de prática. No entanto, o processo pode dividir opiniões na internet, ainda levantando especulações até a decisão final.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

“O clube que queira deslocar partidas para outro estádio deverá demonstrar que, de maneira nenhuma, esta prática representa: (i) prejuízo ao equilíbrio técnico da competição; (ii) prevalência do interesse econômico particular do clube, em detrimento dos aspectos técnicos da competição; (iii) prejuízo da presença dos torcedores do clube mandante no estádio escolhido; (iv) privilégio de qualquer natureza em favor do clube adversário, como inversão ou comercialização do mando de campo. Caberá à DCO a aprovação ou rejeição do pedido, com base na análise dos critérios estabelecidos, além de outros aspectos técnicos e logísticos envolvidos”

Isadora Reis

Estudante de jornalismo, torcedora assídua do futebol nacional e apaixonada por escrever sobre esportes.
Botão Voltar ao topo