Ex-Jogadores e Ídolos do Fluminense

Fez história no Flamengo e se declarou ao Fluminense

Nome marcante das categorias de base do Fluminense, Toró participou do programa Charla Podcast e detalhou sua caminhada pelo futebol brasileiro. Entre as histórias que levam uma memória afetiva ao torcedor, o atleta detalhou a caminhada em Xerém, a oportunidade de atuar ao lado de Romário e Edmundo, além da responsabilidade que tinha desde cedo.

Mesmo com uma importante trajetória com a camisa do Flamengo, garantindo as taças do Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil e Campeonato Carioca, reconhece a importância de ter se formado no Tricolor, demonstrando grande carinho ao clube. Rafael iniciou na equipe carioca desde jovem, quando tinha apenas seis anos de idade, com o intuito de reforçar o futebol de salão.

“Comecei a dar os meus primeiros passos no Encantado Marabu, clube de onde eu morava. Daí um belo dia a gente foi fazer um jogo contra a Portuguesa, um diretor do Fluminense me viu jogar e eu me lembro bem desse jogo, foi 14 a 3 pra gente, eu fiz 13 gols. E aí no dia seguinte o cara estava lá no meu portão com aquele carrão foi e conversou comigo, eu tinha seis anos e ele me convenceu a dar meus primeiros passos num clube grande que é o Fluminense”, afirmou o atleta.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Atleta escolhe dar continuidade ao Fluminense

O jogador ainda comentou algo que surpreendeu os torcedores, garantindo que logo no início, chegou a receber uma proposta para defender a equipe do Vasco da Gama. De acordo com informações do Toró, o rival ofereceu uma importante oferta. Contudo, as negociações acabaram não avançando, já que o atleta disse que “gostava bastante do Fluminense” e deu continuidade ao seu trabalho.

“Com 10 anos de idade o Vasco veio atrás de mim, bateu na porta quando eu ainda estava no salão pra poder me levar, vieram com uma grana astronômica, na época era um valor considerável pra poder me tirar da casa e tudo. Só que eu gostava do Fluminense, estava feliz lá, foi o clube que abriu as portas para mim, eu continuei lá e o pessoal retribuiu, eu consegui sair da favela. Sou muito grato ao Fluminense e tudo que fizeram por mim”, revelou.

Isadora Reis

Estudante de jornalismo, torcedora assídua do futebol nacional e apaixonada por escrever sobre esportes.
Botão Voltar ao topo