Últimas Notícias do Fluminense

Ex-lateral do Fluminense crava que jogou mais do que Cafu

O futebol brasileiro contou com grandes jogadores ao longo de diversas gerações, e em relação aos laterais direitos, os destaques também são evidentes, incluindo alguns dos principais nomes da história do esporte mundial. Apenas nas seleções que levantaram taças da Copa do Mundo, atletas como Djalma Santos, Carlos Alberto Torres e Cafu, conquistaram uma posição praticamente inesquecível.

Um nome, no entanto, acabou chamando a atenção ao se colocar de maneira superior aos nomes citados: Gabriel. No futebol brasileiro, o jogador contou com passagens por Fluminense, Cruzeiro, São Paulo e Internacional, e entrou na brincadeira de comparações com jogadores que atuaram na mesma posição, garantindo ser melhor que Carlos Alberto e Cafu, atrás apenas de Ilsinho e Leandro.

Em entrevista ao ESPN.com.br, Gubela se desdobrou sobre o assunto: “Eu mudei minha opinião depois do Ilsinho, porque eu recebi um monte de comentário de meus amigos falando: ‘calma, o Ilsinho jogava muito, mas era outra coisa, era outra parada’. Eu falei: vocês tem razão, o Ilsinho não, volta para lá. É meu parceirão, jogava muita bola”, disse em tom bem-humorado.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Atleta deixa Cafu de lado e comenta sobre Leandro

Mesmo causando uma polêmica que rapidamente repercutiu nas redes sociais, garantiu a brincadeira: “Resenha de futebol não pode morrer. E é o seguinte, é a minha opinião. Que nem eu estava falando para vocês do Marcelo. Eu classifico o jogador diferente pela inteligência, pela habilidade, pela técnica. E não é o cara que tem 50 títulos, não é o cara que que é mais rápido, não é o cara que nada”.

O atleta que teve seu nome comparado à Cafu, disse que sua maior inspiração era sobre Leandro, mesmo sendo um jovem, que apenas ouviu sobre seu talento. “Tem lateral, tem um lateral que é um fenômeno, ele dribla pra dentro, sai, driblando lá de dentro da área. Se você vê meus vídeos, eu saía driblando da área também. Lá de trás, não estava nem aí. E isso na verdade é o que eu uso para classificar”, revelou.

Isadora Reis

Estudante de jornalismo, torcedora assídua do futebol nacional e apaixonada por escrever sobre esportes.
Botão Voltar ao topo