DestaquesÚltimas Notícias do Fluminense

Este era o salário de Fernando Diniz antes da demissão 

Fernando Diniz é sempre muito conhecido por ser um treinador diferente dos comuns, o comandante do Fluminense inclusive chegou a ser muito cobrado por não fazer “o básico”, o que em 2023 lhe rendeu uma Libertadores da América histórica com o Flu, além do campeonato carioca ganhando o respeito dos demais.

Com os ótimos desempenhos de sua equipe que vêm desde a metade de 2022 em uma evolução constante, Diniz foi chamado para ser técnico da Seleção Brasileira. Diniz a princípio entraria como “tapa buraco” até a chegada de Carlo Ancelotti, que estava em final de contrato com o Real Madrid. Entretanto, o italiano não veio para o Brasil, frustrando os planos da CBF.

Ancelotti inclusive chegou a afirmar que sequer disse sim à consideração brasileira de futebol e que apenas analisou a possibilidade, mas preferiu ficar em seu clube. Após a recusa de Ancelotti, sobrou até mesmo para Fernando Diniz, que foi mandado embora depois de Ednaldo Rodrigues, presidente da CBF, voltar ao cargo.

A princípio, o contrato do treinador do Fluminense iria até o meio do ano de 2024, restando ainda mais dois amistosos para Diniz à frente do Brasil. No entanto, Ednaldo, devido à recusa de Ancelotti, resolveu mandar embora o até então técnico da Seleção, apostando agora em Dorival Junior, que ficará no Brasil para o ciclo de 2026.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Gastos da CBF com Diniz são revelados

Tendo que retirar Diniz do Fluminense durante as datas FIFA, o presidente Mario Bittencourt pediu à CBF uma grande quantia para que ela tivesse o técnico no mesmo momento em que o Fluminense também o teria. Ao total, de acordo com o jornal O Globo, a entidade desembolsou cerca de R$ 6 milhões ao clube Tricolor.

Parte deste valor inclusive foi usado pelo Flu para pagar o salário do treinador nos períodos em que ele esteve a serviço da Seleção Brasileira. Ao todo, Diniz comandou o Brasil em seis partidas, tendo 38% de aproveitamento e colecionando marcas negativas após os dois primeiros jogos muito promissores do Brasil nas eliminatórias.

Leonardo Simões

Trabalhar com futebol é algo que hoje é minha maior realização, por mais que em outras áreas eu tenha uma boa qualidade é no futebol que eu me identifiquei.Também sou apaixonado por basquete e sempre tento acompanhar todas as ligas, sendo bem antenado a acompanhar diversos esportes além do futebol.Antes de trabalhar com futebol fiz diversos trabalhos, sendo de atendente em shopping até vendedor em televendas, e principalmente após começar a faculdade de jornalismo decide rumar para a área esportiva.
Botão Voltar ao topo