DestaquesEx-Jogadores e Ídolos do FluminenseMercado da Bola do FluminenseÚltimas Notícias do Fluminense

Efeito borboleta! Hudson foi o responsável pela maior venda da história do Fluminense 

O Fluminense, de acordo com o jornalista Ben Jacobs, encaminhou a venda do volante André para o Fulham, da Inglaterra. Segundo o jornalista, o clube inglês aceitou a pedida do Tricolor e irá pagar cerca de 30 milhões de libras pelo volante, com mais 5 milhões de bônus por metas atingidas.

Jacobs também informou que o CEO do Fulham, Alistair Mackintosh, já havia acertado os termos com André no ano passado, após viajar para a final da Copa Libertadores. Agora, a negociação parece estar em estágio final com o Fluminense para concluir a venda do volante para o Velho Continente pelo maior valor já obtido na história do clube.

O montante total, 30 milhões de libras mais cinco de bônus, corresponde a 180 milhões de reais, com mais 32 milhões de bônus, podendo ultrapassar a marca de 200 milhões em lucros para o Flu. André também tinha o desejo de ir para a Europa, o que facilitou a negociação. No entanto, um fato curioso sobre a venda é que ela poderia não ter acontecido se não fosse pelo ex-volante do Flu, Hudson.

Hudson foi crucial para a venda do Fluminense

No dia 16 de setembro de 2020, André, que até então havia acabado de subir da base, fez sua estreia com o manto Tricolor. Na época, o dono da posição era o contestado Hudson, que vivia um mau momento no Flu. No entanto, André só entrou em campo nessa data devido a uma lesão sofrida pelo volante titular, no caso, Hudson e ganhou a vaga em 2021.

A lesão proporcionou a oportunidade para André, que, após boas partidas, assegurou a vaga de titular. Ano após ano, ele aumentou seu destaque, e em 2023 foi peça crucial no título da Libertadores, tornando-se titular da Seleção Brasileira principal. Agora, no início de 2024, ele está prestes a se tornar a maior venda da história do Tricolor.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Curiosamente, na época em que Hudson era titular, André não era muito pretendido pelo técnico da época e acabava não ganhando chances. O volante inclusive esteve em negociações avançadas para ser emprestado ao CRB, clube de Alagoas, mas a transferência não foi concluída devido à lesão ligamentar de Hudson. Este último, depois de aposentado, ainda processou o clube.

O fato revela um grande efeito borboleta, pois caso Hudson não se machucasse, é muito provável que André teria sido jogador no CRB, e sua carreira, bem como todo o ano mágico de 2023 do Fluminense, poderiam ter sido diferentes. André, ao todo, fez 170 partidas com quatro gols e três assistências com a camisa do Flu, conquistando três títulos e deixando sua marca na história do clube.

Leonardo Simões

Trabalhar com futebol é algo que hoje é minha maior realização, por mais que em outras áreas eu tenha uma boa qualidade é no futebol que eu me identifiquei.Também sou apaixonado por basquete e sempre tento acompanhar todas as ligas, sendo bem antenado a acompanhar diversos esportes além do futebol.Antes de trabalhar com futebol fiz diversos trabalhos, sendo de atendente em shopping até vendedor em televendas, e principalmente após começar a faculdade de jornalismo decide rumar para a área esportiva.
Botão Voltar ao topo