Últimas Notícias do Fluminense

Diniz perde as estribeiras e define André como indiferente no Fluminense

No último sábado (17), o Fluminense se despediu do Campeonato Carioca de maneira inesperada, deixando a competição na semifinal, após derrota em 2 a 0 e um empate em 0 a 0 com o Flamengo. No confronto de ida, o técnico Fernando Diniz já se desdobrava entre as possibilidades, considerando que não poderia contar com o elenco titular. Entre as ausências, estava André.

André recebeu cartão vermelho direto na derrota por 4 a 2 para o Botafogo, após cometer pênalti que contribuiu para o terceiro gol do Fogão. Assim, ele teria suspensão automática no primeiro jogo da semifinal contra o Flamengo, algo que já gerava preocupação. Após a eliminação, o técnico Fernando Diniz participou de uma entrevista coletiva e comentou sobre a ausência de André.

“Se o André tivesse jogado na semana passada no lugar do Renato Augusto, ele não ia fazer milagre. Não teria feito muita diferença. O André já jogou em outros jogos em que o Fluminense jogou muito mal. Mas ele é um dos grandes destaques do nosso time há muito tempo. Tínhamos três jogadores de seleção no ano passado. Perdemos o Nino e jogamos sem o André no último jogo”, disse.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Diniz comenta sobre função de André no Fluminense

Já no confronto de volta, algumas ausências deixaram ainda mais marcas na escalação. Thiago Santos foi o suspenso da vez, enquanto Marlon, Samuel Zavier, Ganso, Douglas Costa e Cano se recuperavam de lesão. No entanto, na opinião de Diniz, a presença do atleta é sempre vista de maneira positiva. No entanto, o clube ainda almeja grandes conquistas.

“É claro que esses jogadores fazem falta. O André é um cara que faz mais de uma função. Contar com ele é sempre muito bom. Mas não foi só a volta dele que mudou. Fizemos muitas mudanças para esse jogo. Vamos aprendendo a ganhar e ser competitivo de novo. Hoje voltamos a ser muito competitivos. E temos que ser assim para ganhar coisas maiores”, finalizou.

Isadora Reis

Estudante de jornalismo, torcedora assídua do futebol nacional e apaixonada por escrever sobre esportes.
Botão Voltar ao topo