Últimas Notícias do Fluminense

Diniz não deu conta e Seleção Brasileira perdeu para a Coreia do Norte em amistoso

O treinador Fernando Diniz atual Fluminense e Seleção Brasileira, esteve à frente de outros clubes como o Votoraty e Paulista de Jundiaí. Contudo, antes de chegar à elite do futebol, ele também treinou o Atlético Sorocaba, em 2011, e passou por uma experiência, no mínimo, inusitada.

A equipe da cidade de Sorocaba, no interior de São Paulo, fez uma viagem à Coreia do Norte para disputar dois amistosos contra a seleção local. A viagem foi intermediada pelo Reverendo Moon, dono do clube e que tinha boa relação com os governantes norte-coreanos e, desta forma o Atlético Sorocaba fez mais três viagens à Coreia do Norte entre 2009 e 2015. Em 2016, o clube foi fechado.

Fernando Diniz, Atlético Sorocaba e a “Seleção Brasileira”

No entanto, segundo relatos, os torcedores norte-coreanos acreditaram que o Atlético Sorocaba era a seleção brasileira. Isso porque o time brasileiro vestia camisas amarelas, a mesma cor da seleção principal.

No primeiro jogo, a Coreia do Norte venceu por 1 a 0, com um gol de Kim Kuk-Jin. No segundo jogo, houve empate em 0 a 0. Fernando Diniz, técnico do Atlético Sorocaba na época, ficou surpreso com a reação dos torcedores norte-coreanos. Ele disse que a experiência foi muito interessante, mas também um pouco assustadora.

As partidas foram intensas e ele teve de conter na beira do gramado para as coisas não ficarem ainda piores. E Ednei Ugueto, preparador de goleiros do Atlético Sorocaba na época, relembra o caso:

“O bicho pegou no primeiro jogo, a arbitragem operou a gente. Lá o povo não gosta que você fale besteira, mas no futebol tem hora que não tem como. O Diniz e nós xingamos tanto a arbitragem, não sei se eles entenderam, mas falamos um monte. Eles ficaram com tanta vergonha que foram no hotel pedir outro jogo, mas o Diniz colocou a condição de ser na grama natural. O primeiro tinha sido na sintética”.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

O preparador então comentou como foi a segunda partida: “Empatamos em 0 a 0 o segundo jogo, mas foi um jogão. Quando eles pegavam na bola parecia que ia desabar o estádio, aquela multidão gritando. Quando a gente pegava na bola, todos ficavam calados. Era silêncio no estádio inteiro”, relembra.

Diniz conseguiu chamar a atenção dos governantes coreanos

Com a base da seleção que disputou a Copa do Mundo de 2010 e que foi derrotada pelo Brasil na fase de grupos por 2 a 1, a Coreia do Norte venceu o Atlético Sorocaba no primeiro jogo, disputado em um campo sintético e com uma arbitragem muito contestada ne época por Fernando Diniz. O técnico, aliás, precisou ser contido para não causar problemas no país pelo seu jeito explosivo.

O estádio estava cheio, com mais de 80 mil torcedores, além de diversos militares. E a delegação brasileira ficou preocupada com os possíveis riscos. Mas o jeito único de Fernando Diniz convenceu os governantes do país que a arbitragem não tinha sido justa.

“Enfrentamos muitos jogadores que tinham disputado a Copa de 2010. Não tive temor algum. Sou um cara muito enérgico, e jogamos para ganhar. Foi uma experiência muito interessante, em um país muito fechado, com controle sobre tudo”, disse Diniz, ao recordar o caso.

Desta forma, o atual treinador da Seleção Brasileira e do Tricolor das Laranjeiras tem muitas histórias pra contar sobre sua carreira enquanto treinador. E essa certamente deve ser a mais incomum delas. Mas devido à dificuldade de se entrar com aparato tecnológico no país, poucas foram as recordações fotografadas pela comissão.

Alvaro Cunha

Completamente apaixonado por esportes, videogames e cinema. Acompanha diversas competições de futebol, futebol americano, corridas, golfe e outros esportes.
Botão Voltar ao topo