Últimas Notícias do Fluminense

Diniz ficou indignado com a falta de educação de jornalistas e RASGOU O VERBO

Na última quinta-feira (29), o técnico Fernando Diniz completou mais um importante resultado ao comando do Fluminense, levantando a taça da Recopa Sul-Americana, mais um título inédito para a história do clube. O clube carioca conseguiu ficar com a taça, após superar a LDU por 2 a 0 no Maracanã, os dois gols marcados por Jhon Arias, novamente em destaque.

Vale ressaltar que no confronto de ida, o Fluminense acabou sofrendo uma derrota em 1 a 0, fora de casa, contando com importantes reclamações sobre a atuação da arbitragem. No duelo de volta, Diniz também pontuou alguns erros, principalmente em relação a “permissão” à cera do adversário. Além disso, o profissional rebatou as críticas pela idade avançada de alguns jogadores do time carioca

“Acho falta de respeito e de educação. Ano passado ganhamos a Libertadores com a média dos titulares mais alta. O time jogando melhor que todo mundo, ganhando de times tradicionais, foi vice-campeão do mundo. É um presente para o futebol brasileiro contar com Marcelo, Douglas Costa e Renato Augusto. O nível dos caras é outro. Boa parte da imprensa gosta de chacota, like, sorriso fácil, não gosta da verdade mesmo. Boa parte gosta de fazer esses comentários bobos, palhaçada, mas aqui não entra”, revelou.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Diniz sai em defesa de atletas que sofreram com “cornetas”

Após a importante vitória ao lado dos torcedores, o técnico ainda comentou a respeito de outros nomes que enfrentaram duras críticas ao chegarem no elenco, como é o caso do zagueiro Thiago Santos e do lateral-esquerdo Diogo Barbosa. Os dois atletas caminharam entre os titulares na conquista em cima da LDU. Diniz não poupou críticas sobre o assunto.

“Um jogador que chega em um time grande não é ruim. Ele pode estar jogando mal em algum lugar. Tenho um filho que faz medicina em uma das melhores faculdades do país. Jogar em um time grande é mais difícil que entrar nessa universidade. Do lado de fora, a gente vai assassinando o sonho de gente que lutou a vida inteira para chegar em algum lugar. É muito difícil suportar essa pressão e injustiça que é cometida por muitos de vocês, infelizmente”, afirmou.

Isadora Reis

Estudante de jornalismo, torcedora assídua do futebol nacional e apaixonada por escrever sobre esportes.
Botão Voltar ao topo