Últimas Notícias do FluminenseMercado da Bola do Fluminense

Crias da base rendem fortuna ao Fluminense

O Presidente Mário Bittencourt cumpriu a palavra e manteve o forte elenco de Fernando Diniz para o restante da temporada. Os jogadores do Fluminense até receberam sondagens de outros clubes, porém, a janela se encerra sem vendas nas Laranjeiras. O que não impediu o Tricolor de faturar uma bela grana durante o período.

Três jogadores criados em Xerém acertaram transferências ao redor do mundo e, por conta do Mecanismo de Solidariedade da FIFA, o Fluminense embolsou mais de R$ 10 milhões. Os responsáveis pelo lucro foram João Pedro, Fabinho e Paulinho Paula. Há possibilidade de aumentar as cifras, já que a janela na Europa fecha somente em 31 de Agosto.

Lucro para o Flu

O atacante João Pedro, que brilhou no Fluminense em 2019, é o novo jogador do Brighton, na Inglaterra. O jovem de 21 anos passou quatro temporadas no Watford, também na Inglaterra, e alça voos maiores em um projeto que encantou a Terra da Rainha na última temporada. R$ 10,3 milhões pingam na conta do Tricolor.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

O volante Fabinho de Seleção Brasileira e destaque no Liverpool se tornou mais uma estrela no futebol da Arábia Saudita. Depois de conquistar sete títulos relevantes na Inglaterra, Fabinho será jogador do Al-Ittihad, ao lado de N’Golo Kanté e Karim Benzema. R$ 2,5 milhões foram ao Fluminense.

Menos conhecido, só que mais próximo, o meia Paulinho Paula é do Vasco. O rival do Tricolor contratou o cria de Xerém do Al-Shabab, da Arábia Saudita, até 2025 e rendeu um dinheiro ao Fluminense: cerca de R$ 612 mil.

Adeus André?

O Liverpool procura um substituto para a saída de Fabinho e o Fluminense é quem se preocupa. O gigante inglês fez uma consulta por André, que é observado desde a Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2020. O Tricolor, por enquanto, veta a transferência independente do valor.

Fábio

Apaixonado por futebol desde os primeiros passos, sou mais um dos que tiveram o sonho de se tornar jogador interrompido por lesões (é verdade, operei o LCA duas vezes), mas também, claro, por outros inúmeros motivos. Tento, no Jornalismo, manter o meu contato com o esporte que amo com uma escrita diferenciada e única.
Botão Voltar ao topo