Últimas Notícias do Fluminense

Craque Neto é pego espalhando mentira sobre o Fluminense

Ex-jogador e ídolo do Corinthians, Craque Neto caminha como apresentador no programa os ‘Donos da Bola’, e é conhecido pela sequência de polêmicas. Desta vez, levantou uma informação que é disseminada por rivais do Fluminense, e que já foi desmentida anteriormente. De acordo com as especulações, existia uma suposta proibição de atletas negros de vestirem a camisa do time carioca.

Enquanto isso, o Vasco da Gama ficou conhecido como o clube que aceitava esses jogadores que eram injustiçados. No entanto, vale ressaltar que o Fluminense joga futebol desde 1902, enquanto o Cruzmatino passou a atuar em 1923. A história do pó-de-arroz teria se desdobrado há aproximadamente 110 anos, no dia 13 de maio de 1914, quando o adversário ainda não atuava.

Ex-jogador do América, Carlos Alberto, ficou conhecido como “pó-de-arroz” pelos torcedores adversários, já que tinha o hábito de usar o produto como um pós-barba, algo que era muito comum naquele momento, como revelam os próprios jornais da época. No entanto, o apelido era ligado ao profissional de maneira pejorativa, como uma ofensa.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Neto pode cometer injustiça com o Fluminense

Assim, a torcida do Fluminense pensou em uma maneira de apoiar o jogador por uma descriminação com cunho homofóbico, e passou a jogar o produto nas arquibancadas, algo que é muito conhecido no futebol brasileiro, até os dias atuais. A FluTV já reproduziu até mesmo uma websérie desmentido tal afirmação, que foi levantada por Neto para milhares de torcedores.

“Pó-de-arroz porque o Vasco foi o primeiro time aceitar os negros jogarem. O Fluminense até que aceitou, mas botava pó-de-arroz”, disse Neto, causando nova polêmica no programa. A declaração rapidamente repercutiu nas redes sociais, já que os torcedores não aceitam a acusação e entendem a necessidade de encerrar a história.

Isadora Reis

Estudante de jornalismo, torcedora assídua do futebol nacional e apaixonada por escrever sobre esportes.
Botão Voltar ao topo