Últimas Notícias do FluminenseDestaquesMercado da Bola do Fluminense

Cano surpreende e revela quais foram os seus 2 melhores anos na carreira

Centroavante é o artilheiro do tricolor há três temporadas

Vestindo a camisa do Fluminense desde o ano de 2022, Germán Cano adquiriu momentos inesquecíveis em Xerém. Nesse ínterim, o craque faturou diversos títulos e façanhas individuais, mas colocou em evidências dois momentos inalcançáveis. Segundo o centroavante argentino, sua estadia nas Laranjeiras foram as melhores de toda a sua carreira.

Em entrevista cedida à ESPN, o artilheiro do Fluminense projetou sua dinastia no futebol carioca, alegando que os direcionamentos de Fernando Diniz estão beneficiando sua trajetória. Em contrapartida, Germán Cano escolheu os gols contra o internacional, na semifinal da Libertadores 2023, como os mais importantes de sua carreira.

– “Meus dois melhores anos da carreira. 2023 melhor (do que 2022) por tudo que a gente conseguiu. Os gols que fiz contra o Internacional (na semifinal da Libertadores) foram os mais importantes” – falou à ESPN.

Com as vestes do Fluminense, Cano disputou 143 partidas, das quais marcou 88 gols e contribuiu com 11 assistências. Em contrapartida, faturou o Campeonato Carioca (2022 e 2023), Libertadores da América (2023) e Recopa Sul-Americana (2024).

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Cano vivendo o melhor momento

Em conversa com o “Diário Olé”, da Argentina, o camisa 14 foi além ao dizer que apesar de seus 35 anos, permanece melhorando a cada duelo. Para o centroavante, cuidar da saúde e manter o mental em equilíbrio é essencial para o desenvolvimento eficaz dentro de campo.

– “Porque quando você está mais velho, pensa diferente, as coisas mudam. Quanto mais velho, melhor joga. Jogamos com garotos de 20 ou 21 anos que voam, são fortes fisicamente. Então, quem tem uma idade maior se cuida mais, treina melhor, come melhor e isso faz com que consiga aguentar os 95 minutos de um jogo atrás do outro e dar o melhor. Me cuido muito. Então, sim, tenho 35 anos, mas é só um número. Não me sinto com 35, me sinto com muito menos, pelo cuidado que tenho em casa no dia a dia e o que me dão no clube para que eu possa render um jogo depois do outro porque aqui se joga a cada três ou quatro dias. Ano passado joguei 70 vezes e esse cuidado me ajudou muito” – disse ele.

Iara Alencar

Sou apaixonada por esportes, principalmente pelo futebol. Trabalho há cinco anos como redatora esportiva e publico matérias sobre as principais ligas da modalidade. Adoro escrever e estar por dentro de tudo que envolva o mundo da bola.
Botão Voltar ao topo