Últimas Notícias do FluminenseDestaquesJogos e Partidas do Fluminense

Antes de morrer Silvio Luiz detonou narrador da Globo

Comunicador faleceu aos 89 anos

Na última quinta-feira (16), Silvio Luiz, um dos narradores mais icônicos do futebol brasileiro faleceu vítima de falência múltipla os órgãos. Famoso por seus bordões, o comunicador chegou a ser protagonista também de algumas alfinetadas no mundo da bola. Em 2015, o ídolo de uma geração questionou a postura de Luiz Carlos Junior ao transcrever os jogos do Fluminense.

Sobretudo, na Copa do Brasil de 2015, Luiz Carlos foi o responsável por narrar a partida entre Palmeiras e Fluminense. Na ocasião, o Tricolor das Laranjeiras acabou eliminado nas quartas de final para os paulistas nas penalidades, mas o jornalista não conteve sua frustração. Torcedores declarado do elenco carioca, o narrador foi duramente criticado por Silvio Luiz.

Por meio de seu perfil oficial no X (antigo Twitter), a lenda da narração brasileira questionou a imparcialidade de Luiz Carlos Júnior. Irritado com a falta de profissionalismo do companheiro de profissão, Silvio Luiz escreveu: “O Luiz Carlos Junior não precisa torcer tanto pelo Fluminense”, o que gerou fortes discussões nas redes sociais.

Apesar da alfinetada no passado, Luiz Carlos não deixou de prestar sua solidariedade aos familiares, fãs e amigos do narrador falecido. Em sua página no Instagram, o jornalista dos canais SporTV disparou: “Silvio Luiz foi muito marcante. Descanse em paz”.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Silvio Luiz e sua trajetória icônica

Silvio Luiz Peres Machado de Souza nasceu em 1934, em São Paulo. Mostrando toda a sua desenvoltura perante às câmeras, o narrador se aventurou ainda em duas novelas; “Éramos Seis” e “Cela da Morte”. Potencializando sua trajetória profissional, o ícone da comunicação esportiva foi árbitro de futebol, além de ter atuado como diretor de programação da Rede Record.

Após dar voz aos jogos mais emblemáticos, Silvio Luiz acumulou bordões que foram eternizados no futebol nacional. Dentre eles estão: “Pelas barbas do profeta”, “Olho no lance, éééé…”, “Foi, foi, foi, foi ele…” e “pelo amor dos meus filhinhos”. A lenda deixa sua esposa e três filhos.

Seu último trabalho na televisão foi na Record, onde apresentava uma transmissão alternativa dos jogos do Campeonato Paulista ao lado dos humoristas Carioca e Bola.

Iara Alencar

Sou apaixonada por esportes, principalmente pelo futebol. Trabalho há cinco anos como redatora esportiva e publico matérias sobre as principais ligas da modalidade. Adoro escrever e estar por dentro de tudo que envolva o mundo da bola.
Botão Voltar ao topo