DestaquesÚltimas Notícias do Fluminense

Ancelotti bate o martelo sobre o futuro e Diniz é comunicado

Carlo Ancelotti é um dos técnicos mais vencedores de todos os tempos, conquistando cinco títulos nas cinco principais ligas europeias, e com isso ele era o principal alvo da Seleção Brasileira, atualmente comandada por Fernando Diniz, que treina a seleção e o Fluminense em conjunto. No entanto, o sonho de ter Ancelotti foi frustrado.

Segundo o ex-presidente da CBF, Ednaldo Rodrigues, que hoje não ocupa mais o cargo, a Seleção Brasileira estava acertada com o treinador do Real Madrid, que chegaria no meio de 2024 após o término do contrato de Diniz com o Brasil. Ancelotti assumiria a seleção visando a Copa do Mundo de 2026.

Entretanto, de última hora nesta sexta-feira (29), o Real Madrid, por meio de suas redes sociais, comunicou oficialmente a notícia dada pelo jornal Relevo de que Ancelotti renovou com o clube Merengue, deixando a CBF de mãos vazias. Segundo as informações divulgadas pelo clube madrilenho, o novo contrato se estende até o ano de 2026.

Ancelotti não permanece e Diniz pode assumir o cargo

Sem a confirmação de Carlo Ancelotti, a Seleção Brasileira fica sem um treinador para o início de 2024, causando revolta entre os torcedores devido à garantia anterior dada pelo então presidente da CBF, mesmo com o italiano negando qualquer acordo com o Brasil em suas entrevistas. Agora, a CBF deve reavaliar sua estratégia e anunciar o novo técnico o mais rápido possível.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Uma das opções que deve ser considerada é Fernando Diniz, atual treinador do Fluminense, com contrato válido até 2025. Diniz comanda simultaneamente o clube carioca e a Seleção, sendo uma opção segura para a CBF, dada sua familiaridade com a equipe nacional onde vem comandando desde setembro.

Apesar dos resultados não tão positivos em seu início no comando da Seleção, Diniz pode receber uma segunda chance, pelo menos até o final da Copa América, que começa em junho de 2024, além dos amistosos programados para março. Além de Diniz, outros treinadores, especialmente estrangeiros, podem ser considerados pela CBF.

A não confirmação do acerto com Ancelotti, que era tido como garantido, destaca a instabilidade vivida pela CBF nos últimos anos, incluindo a saída de Ednaldo Rodrigues da presidência, marcada por tumultos internos na entidade, o que pode ter influenciado no fracasso do acordo com o treinador italiano.

Leonardo Simões

Trabalhar com futebol é algo que hoje é minha maior realização, por mais que em outras áreas eu tenha uma boa qualidade é no futebol que eu me identifiquei.Também sou apaixonado por basquete e sempre tento acompanhar todas as ligas, sendo bem antenado a acompanhar diversos esportes além do futebol.Antes de trabalhar com futebol fiz diversos trabalhos, sendo de atendente em shopping até vendedor em televendas, e principalmente após começar a faculdade de jornalismo decide rumar para a área esportiva.
Botão Voltar ao topo