Apostas esportivas

Além do Maracanã, agora Fluminense se juntou com o Flamengo e foi até a FIFA

Na última segunda-feira (18), o Fluminense acompanhou de perto o sorteio dos grupos da Copa Libertadores da América, sendo colocado ao lado de Cerro Porteño (Paraguai), Colo-Colo (Chile) e Alianza Lima (Peru). No entanto, mesmo com os importantes compromissos pela frente, a equipe Tricolor, além de Flamengo e Palmeiras, vem pensando no sonhado Super Mundial da Fifa.

As equipes se juntaram em um lobby, com o intuito de levantarem a possibilidade de se tornarem cabeças de chave no Super Mundial, que está previsto para a temporada de 2025. Vale ressaltar que já foi feita uma petição para a diretoria da Conmebol, que será encaminhada para a federação internacional de futebol, estudando os objetivos sobre o torneio.

No total, o Super Mundial de Clubes contará com 32 clubes e será realizado nos Estados Unidos, na metade da temporada de 2025, algo que parece completamente distante da atual realidade. A Europa conta com 12 vagas, enquanto a América do Sul terá seis. No total, são formados oito grupos de quatro times, assim como foi projetado na Copa do Mundo de 2022.

Participe agora do nosso grupo exclusivo do Whatsapp, Telegram ou acesse nossas comunidades.

Fluminense acompanha pedido sobre Mundial

De acordo com o pedido feito por Flamengo, Fluminense e Palmeiras, os campeões da Copa Libertadores da América têm de ser cabeças de chave, assim como os vencedores da Champions. Logo, defendem esse direito para os três clubes, além do campeão de 2024, que se definirá durante a temporada de 2024. Agora, os torcedores aguardam mais detalhes sobre a possibilidade.

A oportunidade surgiu com um encontro de dirigentes dos times com o presidente da Conmebol, Alejandro Dominguez. Em seguida, as equipes decidiram se reunir e formalizaram um pedido. De acordo com a decisão final, Dominguez encaminhará à Fifa o pedido para que os quatro campeões da Libertadores atuem como cabeças de chave.

Isadora Reis

Estudante de jornalismo, torcedora assídua do futebol nacional e apaixonada por escrever sobre esportes.
Botão Voltar ao topo